O que é hipossuficiência e como evitar?

0
261
hipossuficiencia

Hipossufiência é um termo, geralmente utilizado em meio jurídico, que diz respeito às pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social. As pessoas nesta situação, independente da renda, encontram-se incapacitadas de custear seus gastos financeiros. A falta de autonomia financeira, por sua vez, traz desigualdade social e segregação desta parcela da população.

Entenda o que é a hipossuficiência e o que fazer se estiver na situação.

O que é a hipossuficiência econômica?

A hipossuficiência econômica é uma situação na qual uma pessoa física ou jurídica encontra-se incapacitada de custear suas finanças. Essa situação aparece nos artigos 98 a 102 do Novo Código de Processo Civil (Lei nº 13.105/15). A situação é descrita para facilitar o acesso desta pessoa à justiça, o que facilita o atendimento a partir da gratuidade. Contudo, a situação de hipossuficiência não é uma posição confortável e os benefícios oferecidos pelo governo são apenas uma maneira de trazer mais dignidade e justiça para essa parcela da população. A seguir, saiba o que é considerada uma pessoa hipossuficiente.

O que é uma pessoa hipossuciente?

Não há uma renda específica para alguém ser considerado hipossuficiente, já que pessoas de variadas faixas de renda podem comprovar a situação. Mas os número de pessoas pobres no Brasil em fevereiro de 2021 foi de 27 milhões, o número triplicou desde agosto de 2020. As pessoas em situação de extrema pobreza são consideradas hipossuficientes, mas há outras regras.

Pessoas que comprovem gastos com medicamentos, atendimentos médicos, alimentação, aluguel altos em relação ao valor de sua renda mensal, podem comprovar a hipossuficiência. Para receber os benefícios jurídicos que a situação oferece, entre em contato com um advogado e explique a sua situação. O atendimento será gratuito.

banner black friday blu

4 dicas de como evitar a hipossuficiência

As causas da desigualdade social no Brasil são muitas e complexas e não existe uma fórmula mágica para deixar de ser uma pessoa hipossuficiente. Contudo, é possível ter educação financeira e se organizar minimamente para melhorar a sua situação. Com um bom planejamento financeiro, estratégia para quitar possíveis dívidas, entre outras dicas, é possível ter mais saúde financeira. Confira!

1. Monte um planejamento financeiro de acordo com a sua realidade

Com quantas pessoas você mora? Quais são as fontes de renda? Quanto custam as despesas fixas mensais? Coloque tudo isso em uma planilha. Ao anotas ganhos e gastos é possível saber exatamente onde está o problema. Um planejamento financeiro ajuda muitas vezes, mas nem sempre é a solução para os casos de pobreza extrema.

Muitas vezes, a falta de oportunidades de trabalho e de especialização marcam as desigualdades financeiras. Não sinta culpa por estar nessa situação, mas você pode ter algumas atitudes para lidar melhor com o problema. Veja mais opções a seguir.

2. Priorize sua dívidas

Se há dívidas, especialmente com juros ativos, elas devem ser sua prioridade financeira no momento. Comece listando todas elas e saiba exatamente quanto você deve. Depois, classifique as suas dívidas entre as que mais contém juros. Dívidas de cartão de crédito e cheque especial são as que possuem os juros mais altos do mercado e devem ser priorizadas. Considere pagá-las primeiro.

Considere também renegociar a sua dívida. Assim como ela é um problema para você, também é um problema para a empresa na qual você deve. É por isso que muitas delas oferecem condições especiais de pagamento que cabem no seu bolso. Acesse o site da BLU365 e conheça nossos parceiros e ofertas especiais para você.

3. Consulte o Cras da sua cidade

O Centro de Referência em Assistência Social (Cras) é um local público, localizado em regiões estratégicas onde há maiores chances de vulnerabilidade social. O objetivo deste órgão é trazer benefícios para essa parcela da população a partir da inserção em programas sociais. Por meio do Cadastro Único, realizado no Cras é possível contar com diversos benefícios.

Por meio do Cras é possível, por exemplo, contar com tarifas reduzidas nas contas de água e energia elétrica, fazer cadastro no Minha Casa Minha Vida, se cadastrar no Bolsa Família, ter acesso a programas de alfabetização e acesso a educação, entre muitos outros. Todos esses programas ajudam a trazer mais saúde financeira para as pessoas em situação de vulnerabilidade social. Consulte mais detalhes sobre o Cras e procure o da sua cidade.

4. Tenha acesso a medicamentos gratuitos

Uma das grandes causas de hipossuficiência é o gasto mensal com medicamentos, especialmente durante a velhice. Para economizar e sair da situação de hipossufiência, é possível contar com os medicamentos gratuitos oferecidos pelo SUS. Confira a lista completa de medicamentos do SUS. Ainda que não estejam nesta lista, medicamentos de alto custo também podem ser conseguidos pelo SUS. Para isso, é preciso consultar a secretaria de saúde da sua cidade e preencher os formulários disponibilizados por ela.

Estar na situação de hipossuficência não é algo planejado, mas que pode ocorrer com muitas pessoas. É importante não se culpar e procurar a ajuda da assistência social se precisar. Tem alguma dúvida sobre essa tema? Deixe nos comentários.

+ Saúde financeira: como sair das dívidas

DEIXAR UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui