Veja o que 62% dos brasileiros pensam sobre a inflação

0
108

De acordo com uma pesquisa feita pela FSB, 62% dos brasileiros esperam pelo pior na economia. A pesquisa mostrou que cerca de 6 a cada 10 brasileiros não têm expectativa nenhuma quanto a alguma possível melhora no cenário econômico ainda esse ano. Continue a leitura e veja o que 62% dos brasileiros pensam sobre a inflação.

O que 62% dos brasileiros pensam sobre a inflação?

De forma geral, os brasileiros estão desanimados sobre a economia no país. Quando perguntados sobre a inflação, 62% afirmam que o cenário está ruim ou muito ruim. Os entrevistados, ainda, acreditam que a inflação deve continuar subindo e com ela, o aumento do valor de itens básicos.

Nos últimos meses, o aumento de preços subiu de 63% para 65%.

Brasil ocupa o 180º no ranking econômico

A percepção negativa dos brasileiros não está deslocada da realidade. Em um ranking de 193 países, o Brasil ocupa o 180º, de acordo com o World Economic Outlook do FMI. Além da situação do presente ser negativa, as previsões para 2023 também são bastante desanimadoras.

O Brasil está localizado no ranking dos dez piores países, quando falamos em crescimento econômico. Neste caso, 191 países foram analisados, com excessão da Tunísia e da Ucrânia, de acordo com o atual cenário geopolítico. As projeções de crescimento para a economia brasileira caíram de 1,6% para 1,4%.

Ainda de acordo com o FMI, o crescimento da economia brasileira no biênio 2022-2023 deve ser de apenas 2,2%. Esse é o sétimo pior resultado do ranking. Os piores colocados no ranking são a Rússia e Belarus. Brasil ficou atrás da Micronésia, Moldávia e Estônia.

Altos índices de desemprego e mais

Muito além do PIB abaixo do esperado, um dos principais indicadores das projeções negativa é o alto índice de desemprego no Brasil. De acordo com o FMI, a expectativa é que o brasil feche o ano com 13,7% da população desempregada.

As altas taxas de juros trazem mais um alerta para a situação econômica do país. A taxa selic, a principal taxa de juros do Brasil, chegou a 11,75% em março deste ano. A junção de altos índices de inflação, de desemprego e juros, faz com que a população se sinta realmente sem saída. Não é à toa que os brasileiros estão desesperançosos e com expectativas negativas.

Itens básicos cada vez mais caros

De acordo com uma pesquisa do IPESPE (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas), 62% dos brasileiros acreditam que a economia do Brasil está no caminho errado.

Quando perguntados sobre a atual situação econômica brasileira, 62% acreditam que a economia está caminhando errado, 32% consideram que a economia está no caminho certo e outros 6% preferiram não opinar.

Contudo, quando questionados sobre a inflação e as variações nos preços dos produtos, os números são diferentes. 71% dos entrevistados respondeu que os itens aumentaram muito. 24% afirma que os valores aumentaram. Apenas 3% dos participantes disse que os preços estão iguais e 1% afirmou que abaixaram.

Essa pesquisa foi feita em maio de 2022, quando os brasileiros entrevistados já se mostravam com expectativas negativas sobre a economia. Apenas 10% dos participantes ainda acreditam que o custo de vida pode diminuir em 2022. Para 45%, os valores ainda vão aumentar muito, 20% acredita que ficará igual e 19% acredita que vai aumentar.

Cesta básica consome 55% do salário mínimo

Outro indicador de que os preços dos produtos estão muito altos é o valor da cesta básica. Em média, a cesta básica custa cerca de R$663,29 para o brasileiro, o que compromete 55% do salário mínimo em 2022.

De acordo com o levantamento, esse é o maior percentual atingido, desde 2004. Naquela época, a cesta básica consumia 58% do salário mínimo. Ainda de acordo com o levantamento, o percentual passou a subir desde 2019.

Hoje, o Brasil possui em média 33,1 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar. Com tantas pessoas passando fome em um país, o cenário não poderia ser outro se não o de insatisfação e desesperança com cenário econômico.

+ Leia também: Preço da gasolina: por que está aumentando?