Por que chutamos o balde no final e começo do ano?

0
997

Final e começo de ano é sempre a mesma coisa: vivemos como se não existisse o amanhã e chutamos o famigerado balde. O problema é que o amanhã sempre chega e, com ele, a nossa busca em recuperar o balde que foi chutado. Seja ao postergar obrigações, exagerar na alimentação e principalmente o descontrole nas finanças, chutar o balde é sempre sobre perder o controle por alguns momentos. Mas você já parou para pensar nos motivos que nos levam a chutar o balde?

O fato é que chutar o balde pode parecer uma solução mágica em muitos momentos, para interromper alguma situação que não nos agrada. Mas será que é a melhor estratégia para lidar com os problemas que temos? Entenda a seguir o que é chutar o balde e os motivos que nos levam a tal decisão radical.

Chutar o balde: o que é?

chutar o balde 1

A expressão é bastante antiga e é utilizada de forma popular como um sinônimo para “perder o controle” ou “desistir de algo“. Geralmente, o contexto em que chutamos o balde é uma resposta com raiva para alguma situação, como por exemplo: trabalhei muito neste ano, então, vou chutar o balde no fim do ano e comprar tudo o que tenho direito. O mesmo vale para quem fez dieta e acaba se descontrolando de forma compulsiva nas festas de fim de ano.

Independente da situação, chutar o balde é sempre chegar ao limite insustentável, em que se abre mão de alguma coisa ou deixa o controle da situação de lado por alguns momentos. As últimas semanas do ano são um momento propício para isso, já que é um período em que muitas pessoas recebem um dinheiro extra (décimo terceiro, vendas que aumentam, entre outras fontes de renda) e acabam gastando de forma imprudente.

chutar o balde 2

Com o apelo do marketing para os gastos de fim de ano, somados ao cansaço de um ano inteiro de trabalho, a receita para os gastos exagerados está garantida. O problema é que em janeiro boa parte das pessoas que chutou o balde nas finanças precisa partir em busca do balde que foi para longe.

Por que chutamos o balde?

Chutar o balde é uma expressão bastante comum nas conversas informais e, como tudo,  também rende bons memes na internet. Mas esse comportamento pode ser explicado por especialistas. Segundo a psicologia, chutar o balde é uma espécie de solução mágica para os problemas. Acontece quando estamos em uma situação que, de alguma forma, nos desagrada e a solução mais sensata é chutá-la para bem longe. Contudo, o que pode parecer um grande alívio logo pode se transformar em um grande transtorno em nossas vidas. Segundo a psicanalista Silvana Lance Anaya, a princípio, o ato de chutar o balde pode parecer uma ação de extrema coragem, que nos causa adrenalina ao realizar.

Ainda segundo a psicanalista, durante nosso cotidiano estamos sempre a chutar pequenos baldes. Quando impomos nossos limites, quando deixamos lugares que nos prejudicam, entre outras situações. As consequências de chutar um balde, contudo, variam de acordo com o que a psicanalista define como “o tamanho do balde e o que está dentro dele“. Somos seres com emoções complexas, que podem se acumular e explodir ou mesmo surgir de forma súbita, trazendo a sensação de que chutar o balde é a única solução possível. Quando não há um momento de ponderação, ou seja, nos sentimos pressionados, é bem provável que haja a solução drástica de chutar o balde. Trazendo para o aspecto das finanças, podemos pensar no apelo consumista de final de ano, que funciona como uma pressão para que se compre o máximo possível, se aproveitando do dinheiro extra.

Essa decisão drástica acontece justamente porque, naquele momento, ela parece a única saída possível. É quando entre o pensamento e a ação não há nenhum momento de respaldo para avaliar se é prudente ou não tomar tal atitude. Mas chutar o balde nem sempre é uma situação necessariamente negativa, como veremos a seguir.

Nem tudo está sob controle e tá tudo bem

chutar o balde 3

Em algumas situações, chutar o balde é impor limites saudáveis e necessários ou mesmo recomeçar após interromper algo que já não fazia sentido. A psicologia contemporânea fala muito sobre abrir mão do controle, afinal, o excesso de necessidade de controle está na raiz de muitos problemas psicológicos. Perfeccionismo, insegurança e falta de confiança nos outros são alguns dos problemas que podem surgir com o excesso de controle sobre as situações.

Segundo a psicóloga Amanda Santos de Oliveira é importante soltar as rédeas de vez em quando para perceber que nem tudo está sob controle. Isso não significa que em toda situação que te desagrada você deve chutar o balde para bem longe, mas que uma vida saudável permite abrir mão de responsabilidades por alguns momentos. 

Assim, é completamente saudável se permitir um mimo extra no fim do ano ou mesmo descansar por alguns dias longe das obrigações. Mas se você chutou o balde geral e foi para situações extremas, continue conosco, pois vamos te ajudar a buscar o seu balde, mesmo que ele já esteja bem longe.