Saiba como o dólar baixo impacta na economia

0
426

O dólar alto traz diversos impactos na economia global, não é novidade para ninguém. Mas você sabia que o dólar baixo também pode afetar negativamente a economia? Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a queda na moeda estadunidense não é algo totalmente positivo.

Em 2022 o dólar já teve uma desvalorização de 15% em comparação ao real, moeda brasileira. O dólar baixo é tanto motivo de comemoração, quanto de preocupação para os negócios e mercado financeiro em geral. A seguir, entenda mais detalhes sobre como as flutuações da moeda influenciam na economia brasileira.

Dólar baixo: quais os impactos na economia?

O principal impacto do dólar baixo é para os exportadores, que literalmente perdem muito dinheiro neste momento. Se antes os exportadores lucravam grandes porcentagens com o dólar alto, com uma queda brusca tendem a sair no prejuízo.

Os importadores estrangeiros continuam pagando o mesmo valor em dólar. Mas quando o valor é convertido para reais, o exportador sai perdendo, passa a lucrar menos do que lucrava antes.

Quanto aos impactos positivos do dólar baixo, quem lucra é o importador. Se um negócio trabalha a partir da importação de itens com pagamento em dólar, o momento é bom para investimentos. Afinal, o valor convertido em reais passa a ser mais barato neste momento.

Quais os setores mais afetados?

O setor de commodities agrícolas é o mais afetado. Exportadores de soja, papel, celulose, carnes, além de produtos da mineração são bastante afetados neste momento de dólar baixo. Em outras palavras, passa a compensar menos a exportação neste momento. É neste cenário que as commodities podem ficar mais baratas para os consumidores, como veremos a seguir.

O fato é que com o mercado de exportações esfriando, exportadores passam a apostar mais no mercado nacional. A notícia é boa para o consumidor, mas o cenário de baixa no dólar pode não durar tanto tempo.

Impactos para o consumidor: dólar baixo atua contra a inflação

O lado mais positivo do dólar baixo é que atua contra os índices de inflação. Isso porque com a queda dessa moeda, o real passa por um fortalecimento, passa a ser mais valorizado, depois de tempos em grande desvalorização.

Com o dólar baixo, o preço das importações caem e alguns itens se tornam mais acessíveis, expandindo o poder de compra do consumidor brasileiro. Por outro lado, as commodities produzidas aqui e com preço em dólar, como o petróleo, têm menor alta nos preços. Com o real valorizado e inflação controlada, pode ser um bom momento para o consumidor brasileiro. O impacto da inflação é reduzido neste cenário.

Outro impacto positivo é para as empresas que tiveram prejuízos com a desvalorização do real. Empresas que precisam de insumos importados e com valor em dólar, como por exemplo o trigo, podem se recuperar neste momento. Outro exemplo é a área de eletrônicos, que precisa de peças importadas para produzir eletrodomésticos e itens tecnológicos em geral.

O que explica o dólar baixo?

O dólar baixo surpreendeu o mercado financeiro e tem algumas explicações para essa queda. A primeira delas é que com a guerra entre Ucrânia e Rússia, diversos investidores retiraram seu dinheiro destes países por conta da instabilidade. Então, o Brasil passou a ser procurado por estes investidores, o que traz uma valorização para a bolsa de valores brasileira, depois de tempos de desvaloização.

Com juros altos e commodities em alta no país, o Brasil passa a ser bastante atrativo para os investidores estrangeiros. Atualmente, o país tem a segunda maior taxa de juros do mundo, ficando apenas atrás da Rússia. Esse motivo tem atraído mais investidores para o Brasil desde o início do ano.

Além de deixar as viagens para o exterior mais baratas, o dólar baixo traz diversos impactos para a economia brasileira e especialistas apontam que pode cair ainda mais.

Se você gosta de ler sobre economia, entenda também porque a gasolina está tão cara.