Transferência DOC ou TED: qual escolher?

0
922
TED ou DOC

Na hora de fazer uma transferência de dinheiro, você precisará fazer uma escolha: DOC ou TED? Por mais que sejam similares, as duas formas de transferir valores para contas em outros bancos possuem suas particularidades – e elas fazem toda a diferença.

Essas pequenas particularidades não ficam tão em evidência para quem vai realizar uma transferência para contas em outros bancos. Mas não se preocupe!

Para te ajudar a analisar e identificar qual é o método que mais combina com a sua necessidade, continue a leitura!

O que é um DOC bancário?

Sigla para “Documento de ordem de crédito”, o DOC é um serviço de transferência de valores regulamentado pelo Banco Central. Ele é oferecido por todos os bancos regularizados pelo BC, e demora um dia útil para ser finalizado.

O DOC pode ser realizado apenas pela Internet, via Internet banking, caixas eletrônicos e via atendimento presencial em agências bancárias. Por mais que o serviço não tenha valor mínimo, ele possui um limite: só é possível fazer DOCs com um valor abaixo de R$4999,99. A partir de cinco mil reais, é necessário realizar um TED.

Na maioria dos bancos, o DOC é um serviço pago, que pode ser cobrado de forma avulsa ou ainda estar presente na cesta de serviços. É comum que a taxa do serviço realizado pela Internet ou em caixas eletrônicos seja mais barato do que aquele feito no caixa presencial, o que serve para incentivar o uso dos recursos digitais e diminuir as filas nos bancos.

Em alguns bancos, principalmente nas contas digitais, o DOC costuma ser gratuito – sem nenhuma taxa avulsa ou mesmo inserido no pacote de serviços.

Por esses motivos, o DOC é mais indicado quando não há pressa para a compensação, visto que o valor irá cair na conta de destino apenas um dia útil depois, sempre lembrando e respeitando o limite de 5 mil reais por transação.

O que é um TED bancário?

TED é uma sigla para Transferência Eletrônica Disponível, serviço bancário para transferir valores entre contas de bancos diferentes. Seu grande diferencial é que o valor aparece quase que instantaneamente na conta de destino – caso a transferência seja solicitada antes das 17h, em dias úteis.

O método de transferência surgiu em 2002, porém com um fator bem limitante: seu valor mínimo para cada transição era de R$5 milhões de reais. Em 2015, com a popularização de transferências via Internet e a busca de formas mais rápidas de passar dinheiro para conhecidos, o valor mínimo foi reduzido dez mil vezes: o valor caiu de R$5 milhões apenas para R$ 500.

Em 2016, o TED se tornou realmente acessível, permitindo transações acima de R$0,01, ou seja, de qualquer valor. Diferentemente do DOC, o TED não tem valores máximos. Você pode transferir desde centavos até milhões, sem mudança nas taxas.

Assim como no caso do DOC, essa forma de transferência pode ter taxas cobradas de forma avulsa ou inseridas no pacote de serviços. Elas também costumam ser mais baratas para quem opta fazer por meio de caixas eletrônicos ou via Internet.

Se você vai fazer a transferência de maneira urgente, é sempre melhor optar pelo TED. Afinal, o dinheiro irá cair quase na mesma hora que você realizar o serviço!

Qual escolher?

Se antigamente o TED era exclusivamente utilizado por pessoas ricas, atualmente ele pode ser usado por qualquer pessoa. Por isso, a escolha por ele acaba valendo mais a pena, pois o valor cai na hora e não há limites mínimos nem máximos para cada transação.

O preço cobrado pelo DOC ou TED é, na grande maioria dos casos, o mesmo. Por isso, a escolha acaba ficando mais por conta do prazo e sua inclusão em pacotes de serviço do que pelo preço avulso.

Para efeitos de comparação, criamos uma tabela comparando as taxas praticadas pelas principais instituições financeiras operantes no Brasil. Confira:

 

Caixa Econômica Federal R$ 17,50 (presencial)
R$ 9,50 (eletrônico ou via Internet)
Banco do Brasil R$ 18,70 (presencial)

R$ 8,80 (eletrônico ou via Internet)

Itaú R$ 15,50 (presencial)

R$ 8,50 (eletrônico ou via Internet)

Bradesco R$ 16,30 (presencial)
R$ 8,80 (eletrônico ou via Internet)
NuConta Gratuito (apenas Internet)
Santander R$ 16,30 (presencial)

R$ 8,80 (eletrônico ou via Internet)

HSBC R$ 14,70 (presencial)
R$ 8,20 (eletrônico ou via Internet)

Importante: valores referentes ao mês de abril de 2019. Sujeito à alterações, por isso recomendamos conferir a tarifa vigente antes de realizar qualquer serviço

Independentemente do formato de transferência que você escolher, lembre-se de conferir todos os dados do remetente e destinatário antes de realizá-la de fato. Dessa forma, você protege seu dinheiro e evita dores de cabeça!