6 dicas para economizar dinheiro e ajustar o orçamento familiar

0
1033
6-dicas-para-poupar-dinheiro-cofre-de-porquinho

Autor: Conrado Navarro, sócio e especialista em finanças pessoais da fintech Grão.

O principal fator de sucesso para economizar dinheiro não é o seu conhecimento sobre finanças pessoais. O que mais importa é sua capacidade de organização e, principalmente, de controle emocional.

Convenhamos, saber que você não precisa ser um especialista em finanças é um alívio, mas lidar com as tentações de consumo e a necessidade de colocar um freio em certas decisões não torna o processo tão mais simples. É verdade, mas cuidado com essa armadilha mental.

Quando nos tornamos reféns de nossas justificativas, fica mais difícil acreditar no poder da educação financeira. Convido você a ler este texto com outro pensamento, o de que é capaz de começar a economizar dinheiro e colocar as contas em ordem.

Confira as 6 dicas para começar a montar o seu orçamento familiar

O mais importante na jornada de ajuste do orçamento doméstico é focar em ações práticas, enquanto aproveita o resultado delas para criar hábitos. A educação financeira não pode ser um teste único de transformação, como quando decidimos acabar com uma dívida ou planejar o casamento.

Praticamente todo mundo é capaz de começar a controlar o orçamento e economizar dinheiro, mas é importante que isso se transforme em um estilo de vida. Acompanhe algumas dicas para mudar para melhor.

Leia também: Poupar dinheiro: 8 dicas para criar sua reserva de emergência em tempos de incerteza

1. Faça uma pausa nos financiamentos

As principais instituições financeiras estão concedendo a possibilidade de renegociação do saldo de devedor de empréstimos, agora com condições muito mais interessantes por conta da pandemia do coronavírus.

Você pode reavaliar suas dívidas e criar um novo orçamento a partir da renegociação ou até mesmo solicitar uma pausa temporária no pagamento das parcelas. Os bancos oferecem de 60 a 120 dias de “janela de paz” para quem está em dia com seus empréstimos.

Na prática, você usa os terminais de autoatendimento ou liga para o banco e pede que esse prazo seja dado, simples assim. A partir daí, você terá, por dois a quatro meses, um orçamento sem estas parcelas. Aproveite para organizá-lo nesse tempo.

2. Reduza o consumo de energia e água

Quem está no programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) já tem descontos e pode conseguir até 100% de desconto na conta de energia durante três meses, de acordo com a Medida Provisória 950/2020.

Além desta ótima possibilidade, também devemos assumir a responsabilidade de usar energia elétrica e água de forma mais consciente. Seja banho mais rápido (e morno) ou mesmo reaproveitando a água, sempre é possível baixar um pouco o consumo.

3. Reaproveite tudo que puder

Os alimentos são um bom exemplo do que pode ser mais bem reaproveitado, o que permite economizar dinheiro e tempo. O segredo aqui é pensar com um pouco mais de antecipação, criando e organizando o cardápio da casa de forma mais inteligente.

Muitos ingredientes podem ser usados para preparar um prato principal, mas também lanches e refeições para outros momentos do dia. Cascas podem virar doces; a água usada para cozinhar pode virar uma sopa; a criatividade e a paciência podem se transformar em deliciosas receitas. O bolso agradece.

4. Anote tudo que ganha e gasta

Esta recomendação aparece sempre em todo bom material de educação financeira, e a razão é simples: é muito difícil diminuir gastos, economizar dinheiro e administrar melhor o orçamento familiar sem saber como você gasta o que recebe.

O controle financeiro mais simples significa a reunião entre o que você ganha, sempre considerando o valor líquido, e o que você gasta, tudo devidamente categorizado. O objetivo disso é permitir que você veja uma “foto” de sua realidade financeira e consiga comparar seus gastos em diferentes períodos e traçar tendências.

Será que os gastos com alimentação podem diminuir? Em que proporção se os gastos de supermercado estão subindo? Como fica o transporte, principalmente no mês em que pouco saímos de casa? Com o registro dos valores e suas datas, tudo isso fica muito mais fácil.

5. Envolva a família

Quando apenas um integrante da família está motivado a colocar as contas em ordem para economizar dinheiro, tudo tende a ser um pouco mais demorado. E frustrante. O objetivo da educação financeira é permitir que a família realize seus sonhos, mas isso requer compromisso.

O segredo aqui é agir com transparência, sempre incentivando a verdade sobre a realidade financeira da família. Nada de bancar o “esperto” e tentar “blindar” os outros da situação como ela é. Em vez disso, procure tratar do assunto com naturalidade e humildade, pedindo ajuda para todos.

Na prática, definam juntos quem pode colaborar com as principais despesas e como o controle financeiro será feito. Estabeleçam dias na semana para conversarem sobre os passos dados e resultados alcançados. É essencial que todos estejam cientes de que muitas decisões são temporárias e visam um futuro melhor.

6. Guarde dinheiro todo mês

Para fazer diferença no longo prazo, precisa virar hábito. Guardar dinheiro não pode ser uma escolha adiada porque você não é capaz de economizar dinheiro. Experimente pensar de outra forma: ao receber seu salário, guarde um pouquinho imediatamente. O restante terá que ser suficiente para o orçamento familiar.

Com essa atitude, você parar de postergar o primeiro passo para juntar dinheiro para seu objetivo ao mesmo tempo em que se força a ajustar as contas para que caibam no montante financeiro determinado para o mês.

Na Grão, oferecemos uma poupança digital repleta de muito conteúdo de educação financeira, rentabilidade acima da poupança tradicional e mais segurança. O lugar ideal para começar a poupar dinheiro e fazer sua reserva. Saiba mais em www.grao.com.br

Obrigado e parabéns por ler este conteúdo. Aos amigos da BLU365, valeu pelo espaço!